Esqueceu sua senha?
 
 
 
 
Busca Avançada
 
 
 
Receba as notícias da
Nutrição em Pauta
em seu e-mail
 
 
 1519 artigos encontrados em Notícias
 
 
Pesquisa comprova que dietas com baixo consumo de carboidrato são prejudiciais à saúde.
 
Estudo desenvolvido por dois médicos brasileiros representa a maior análise científica da história da medicina em endocrinologia esportiva.

Dois médicos e pesquisadores brasileiros divulgaram recentemente pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) o maior estudo já feito na área de endocrinologia esportiva. Os dados obtidos provaram que a dieta de baixo carboidrato, conhecida como Low Carb, é prejudicial à saúde quando feita a longo prazo. Denominada de Endocrine and Metabolic Responses on Overtraining Syndrome (EROS), a pesquisa foi feita em parceria com o Laboratório Exame, onde foram realizadas as análises clínicas dos atletas acompanhados durante o estudo.

A dieta Low Carb conciliada com treinos regulares gera um efeito contrário ao objetivo dos atletas. Na prática, seus organismos passam a usar o músculo ao invés da gordura como fonte de energia. O resultado disso é o agravo de todos os marcadores e o aumento do risco de doenças. Com isso, começa um processo de descondicionamento, que pode ser visto, principalmente, por meio da redução da performance nos treinos.

A pesquisa avaliou mais de 50 pessoas, comparando atletas que mantêm uma rotina de treino. Durante a realização do estudo, observou-se que os atletas que seguiam a low carb, mas saíam da dieta com mais frequência, se protegiam da perda muscular e mantinham uma melhora progressiva. Percebemos que quanto mais carboidrato o atleta consumia ao longo de uma semana, menor era o percentual de gordura. Essa descoberta é surpreendente, principalmente se comparada ao que tanto se difunde, de que quanto menos carboidrato, menor o percentual de gordura.

O estudo também apontou que este tipo de dieta pode comprometer questões psicológicas. Com a pouca ingestão de carboidrato, o atleta não consegue queimar a própria gordura e entra em um estado de declínio hormonal. Assim, devido à falta crônica de disponibilidade de estoque de carboidrato no organismo, o resultado disso são possíveis problemas psicológicos como depressão, fadiga e ansiedade.

Quando a low carb pode funcionar?

De acordo com o endocrinologista, a dieta low carb cabe nos casos em que é administrada corretamente. Porém, sua eficácia positiva costuma ser a curto prazo. Vivemos em um período de "carbofobia", onde as dietas são adotadas sem prescrição profissional correta. Esse comportamento debilita o funcionamento do metabolismo.

Fonte
Dr. Flávio Cadegiani - Médico endocrinologista e principal autor da tese Endocrine and Metabolic Responses on Overtraining Syndrome (EROS). Formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília (UnB), fez residência em Clínica Médica no Hospital Universitário de Brasília (UnB), residência médica em Endocrinologia e Metabolismo no Hospital de Base do Distrito Federal e Fellowship em Síndrome da Fadiga Crônica na Univesity of Miami, nos Estados Unidos. Atualmente é doutorando em Endocrinologia pela Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina (UNIFESP/EPM).

site www.laboratorioexame.com.br
 
 
 
 
 

 
Nossos Patrocinadores
   
 
© Copyright Nutrição em Pauta. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso.